Restaurante: Madalosso [Novo]

Mada

Aperitivo

Tradicional restaurante de Curitiba, o Madalosso excede a um lugar para comer: é um ponto turístico da cidade. Ideal para ir com bastante fome, já que o serviço é de rodízio de massas, em porções generosas. Não espere uma grande experiência gastronômica, mas não deixe de conhecer se estiver visitando a cidade.

Sobre o Restaurante

Segundo a história (contada no próprio site), o Novo Madalosso surgiu da necessidade de expandir o restaurante devido à grande procura de clientes pela casa aberta em 1963, por uma família que morava na capital do Paraná. O Velho  Madalosso fica em frente, ainda aberto, mas a fama recai sobre o “novo”. Assim, ano após ano, o Novo Madalosso foi crescendo, em espaço e prestígio entre clientes que moram ou visitam a cidade de Curitiba.

Mada-0106201312142

Já fui à cidade inúmeras vezes e confesso que, apenas na última delas, consegui comer no Novo Madalosso, isso porque ele vive lotado. O estacionamento é enorme e gratuito; nele já se percebe o quanto de gente vai ao local: encontrar uma vaga não é impossível, mas pode-se precisar dar algumas voltas se não quiser andar muito a pé por ele.

O restaurante conta com mais de quatro mil assentos, divididos em cinco salões nomeados como cidades italianas (Roma, Verona, Firenze, Milano e Nápoli), com entradas “individuais”. O esquema é o seguinte: assim que o cliente chega, escolhe um dos salões e dá seu nome na entrada (o Nápoli é o maior, portanto a fila anda mais rápido) e assim que uma mesa desocupa, os nomes vão sendo anunciados. Quem conhece melhor o local, já sabe que o esquema é dar o nome nos dois salões mais próximos, onde desocupar antes, senta para comer.

Mada-colagem

Demoramos entender este esquema de dar o nome em dois salões e acabamos por escolher o Verona (um dos menores) e a fila tardou cerca de 40 minutos; há alguns sofás e também serviço de licores gratuitos para os clientes enquanto aguardam. Aproveitei para “conhecer” o banheiro que é um pequeno luxo a parte. Desde a decoração, ao tamanho. São várias cabines, algumas até com pia própria. Aliás, tudo é muito bem decorado, tanto do lado de fora do restaurante, quanto de dentro dos salões. Há várias pinturas imitando os tetos das capelas famosas da Itália, além de vitrais.

Eu, marido e sogra fomos acomodados em uma mesa e notei que o espaço entre elas é beeem apertado; meu vizinho de mesa ainda brincou comigo “quase dá para a gente trocar pratos, né?”, exagero nosso a parte, só há espaço para circulação dos garçons (e entrada/saída dos clientes). O parmesão ralado e um vidrinho de azeite já ficam sobre as mesas; achei um pouco estranho, não sei explicar, mas preferiria receber uma porção visualmente nova do queijo.

Mada-colagem2

A casa trabalha no esquema rodízio de massas, com muita fartura. E põe fartura nesta história! Mal havíamos sentado e a mesa foi forrada de pratos de diferentes tipos: a tradicional e inigualável polenta frita (sério, por mim, não precisava mais nada), salada de folhas com bacon, salada de batata com maionese, risoto, berinjela (ou caponata), figado frito e frango a passarinho (em dois cortes: peito e coxinha de asa). Ufa! Os garçons não podiam ver uma travessa vazia que já era reposta – a ponto de pedirmos para retirar, evitando o desperdício.

O rodízio é simples. Sim, isso mesmo, já fui em rodízios de massas dignos de UAU! No Madalosso é digno de nota: são sete tipos de massas, apenas uma diferentona – conchiglione de figo, não gosto da fruta, não experimentei. As seis restantes dividiam-se em lasanha bolonhesa, nhoque branco ao sugo, nhoque de rúcula ao molho de tomate seco, canelone de frango, rondeli de espinafre ao molho ranco, espagueti alho e óleo e espagueti a bolonhesa. Além disso, alguns cortes de carnes também eram servidas, como bifes de alcatra assados ou grelhados (não cheguei a experimentar também).

Mada-colagem3

Eu esperava muito  mais pela fama do local, macarrão por macarrão existem várias cantinas espalhadas por aí que fazem muito bem feito, por menos tempo de espera e um valor talvez mais razoável: no Madalosso calculamos 39,90$ por pessoa (Junho/2013), fora as bebidas – refrigerantes, sucos naturais, cervejas e vinhos, o forte da casa.

Obviamente, tudo estava gostoso, com pouco sal para meu gosto pessoal, mas bem servido pelos garçons. Aliás, o atendimento foi muito bom: não havia cara feia, se pedia pouco era pouco, se muito, a porção era bem generosa.

Mada-0106201312137

Não sobrou espaço para a sobremesa (o vizinho pediu e parecia bem apetitosa), mas não pude dispensar o café. Não sou dada a ele, mas achei tão linda a xícara enfeitada de espuma de chantilly que fui obrigada!

Recomendo a visita ao Novo Madalosso, por ser praticamente um ponto turístico de Curitiba. Vá com fome, pois tem comida a vontade, mas não espere a maior experiência gastronômica de sua vida!

Avaliação Final

Preço: $$$

Nota Final ★★★★

Bom para: Amigos (x ) Casal (x ) Criança (x ) Sozinho (x )

Pagamento: Cartão Crédito (Visa/Master) ; Cartão Débito ; Dinheiro

Online:

Site

Facebook

Funcionamento:

Segunda a Sexta: Almoço 11:30 – 15:00 / Jantar 19:00 – 23:00

Sábado e Domingo: Almoço 11:30 – 15:30

Estacionamento: Gratuito

Endereço: Av Manoel Ribas, 5875 – Santa Felicidade – Curitiba – PR – (41) 3372-2121

Um comentário sobre “Restaurante: Madalosso [Novo]

  1. Pingback: Cafeteria: Ópera Café «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.